PROJECTOS


Obrigações do Tesouro

Notícias em Destaque

Jul 03 2015, Executivo pretende destinar mais recursos à economia

O Presidente da República, José Eduardo dos Santos, falou esta quinta-feira, 2 de Julho, sobre o impacto negativo da queda do preço do petróleo bruto no mercado internacional, e da consequente diminuição das receitas do Estado. Uma situação que levou o Executivo a submeter à Assembleia Nacional um pacote de medidas no plano económico, social e administrativo, que permitiram manter a estabilidade do país, e o funcionamento normal das instituições, da economia, e da sociedade.

Jul 03 2015, Publicado Decreto Presidencial que aprova regime jurídico da Contribuição Especial sobre as Operações Cambiais de Invisíveis Correntes

Para efeitos da execução do Orçamento Geral do Estado Revisto para o exercício económico 2015, o Executivo criou uma Contribuição Especial sobre as Operações Cambiais de Invisíveis Correntes. Assim diz o Decreto Presidencial nº 2/15 publicado em Diário da República no dia 29 de Junho.

Jul 03 2015, BODIVA apresenta alternativas de financiamento e rentabilização de capital para empresas angolanas

A Câmara de Comércio Estados Unidos-Angola, USACC, organiza, esta sexta-feira, 03 de Julho, um debate sobre “Como financiar projectos e rentabilizar capital através da Bolsa de Dívida e Valores de Angola, BODIVA”.

PRESS RELEASE

Date: 18/06/2015

President José Eduardo dos Santos’s official visit to China

The President of the Republic of Angola, José Eduardo dos Santos, has been on an official visit to the People’s Republic of China. The aim of the visit was to reinforce the friendship and strong bilateral relations between the two countries.

As part of this visit, the President and ministers of the Angolan government discussed with their Chinese counterparts a broad range of topics relating to the continuing mutual co-operation between the Republic of Angola and the People’s Republic of China, including the partnership between the two countries in such areas as science, education, the economy, energy, agriculture, manufacturing, geology and construction.

In their coverage of this official visit, various media agencies have reported that the President of Angola asked for a moratorium on repayment of debt to Chinese entities. These reports are incorrect. To clarify, the President of Angola and ministers of the Angolan government discussed with their Chinese counterparts ways that will expand fiscal capacity, and enable the government of Angola to continue to and better invest in its Public Investment Program and proceed with the implementation of its National Development Plan, without compromising the existing debt portfolio, particularly under the current market circumstances of low prices of oil. 

The adopted strategy included the exploration of new forms of finance, expansion of the country´s risk exposure limit offered by the Chinese Export Credit Agency, expansion of financing opportunities, improving the terms and conditions of the earlier facilities to reflect current markets conditions, as well as the identification of strategic projects in the areas of electricity, water supply, water treatment, agriculture.

Despite the current adverse market conditions, resulting from the drop of oil prices in the international markets of this commodity accountable for over 80% of the countries export revenue, the Angolan Executive remains focused on the implementation of sound fiscal and monetary policies that promote a stable macroeconomic environment and ensure the continuity of public investment programs and reforms required to foster economic growth and public debt sustainability. 

Neither the President of Angola nor any minister of the Angolan government asked the Chinese government for a moratorium on Angola’s debt repayments to Chinese financial or governmental institutions. 

 

COMUNICADO DE IMPRENSA
Data: 18/06/2015

Visita oficial do Presidente José Eduardo dos Santos para a República Popular da China

O Presidente da República de Angola, José Eduardo dos Santos, fez uma visita oficial à República Popular da China. O objectivo da Sua visita foi para reforçar a amizade e fortalecer as relações bilaterais entre os dois países.

Como parte desta visita, o Presidente e os ministros do Governo Angolano abordaram, com os seus homólogos Chineses vários temas relacionados com a contínua cooperação mútua entre a República de Angola e a República Popular da China, incluindo a parceria entre os dois países em áreas tal como a Ciência, Educação,
Economia, Energia, Agricultura, Indústria Transformadora, Geologia e a Construção.

Em sua cobertura desta visita oficial, várias agências de comunicação relataram que o Presidente de Angola solicitou uma moratória sobre o pagamento da dívida junto de entidades Chinesas. Estes relatos não são verídicos.
Para esclarecer, o Presidente de Angola e os Ministros do Governo angolano discutiram com os seus homólogos chineses maneiras para expandir a capacidade fiscal, e de permitir que o governo de Angola continue a implementar melhor o seu Programa de Investimento Público e prosseguir com a execução do seu Plano Nacional de Desenvolvimento, sem comprometer a actual carteira de dívida, dada as circunstâncias atuais de baixa dos preços do petróleo no mercado internacional.

A estratégia adoptada incluiu a exploração de novas formas de financiamento, expansão do limite de exposição ao risco oferecido pela Agência de Crédito de Exportação da Chinesa, expansão das oportunidades de financiamento, melhorando os termos e condições das facilidade de crédito anteriores para reflectir as condições atuais mercados, bem como a identificação de projectos estratégicos nas áreas de energia eléctrica, abastecimento e tratamento de água, saneamento, e agricultura.

Apesar das actuais condições adversas de mercado, resultantes da queda dos preços do petróleo nos mercados internacionais dessa commodity, responsável ​​por mais de 80% da receita de exportação, o Executivo angolano continua focado na implementação de políticas fiscais e monetárias sólidas que promovem a estabilidade do ambiente macroeconómico e garantem a continuidade dos programas de investimento público e as reformas necessárias para estimular o crescimento económico e a sustentabilidade da dívida pública.

Nem o Presidente de Angola nem os ministros do Governo de Angola solicitaram ao governo Chinês uma moratória sobre o pagamento da dívida de Angola às instituições financeiras ou governamentais chinesas.

 

CITAÇÃO DO MOMENTO - PALAVRAS DE REFLEXÃO E DESPERTAMENTO DO INTELECTO


A Crise segundo Alberto Einstein

“Não pretendamos que as coisas mudem, se fazemos sempre o mesmo. A crise é a maior benção que as pessoas e os paises podem ter, pois a crise trás progressos. A criatividade nasce da angústia, tal como o dia nasce da noite obscura. É da crise que nasce a invenção, os descobrimentos e as grandes estratégias. Quem supera a crise, supera-se a si mesmo, sem ficar “superado.

Quem atribui à crise os seus fracassos e amarguras, violenta o seu próprio talento e respeita mais os problemas do que as soluções. A verdadeira crise, é a crise da incompetência. O inconveniente das pessoas e dos países  é a preguiça para encontrar as saidas e soluções. Sem crise não há desafios, sem desafios a vida é uma rotina, uma lenta agonia. Sem crise não há méritos. É na crise que emerge o melhor de cada um, porque sem crise todo o vento é caricia. Falar de crise é promove-la e calar-se durante a crise é exaltar o conformismo. Em vez de isto, trabalhemos com garra. Acabemos de uma vez única crise ameaçadora que é a tragédia de não querer lutar para superar.”

Albert Einstein


Facebook




Mais Videos